A dura missão de manter um site online

A dura missão de manter um site online – é duro, realmente duro manter um site online contando apenas com a boa vontade o Google Search.

Com as milhares de alterações que o Google faz em seus algoritmos, o trabalho dos publishers é muitas vezes desolador.

Cada mexida nos algoritmos, faz seu site ir da primeira, para a terceira ou quarta página do buscador mais usado no mundo.

Se você acompanha nossas publicações e puder ajudar, doando qualquer valor, nosso PIX é esse:

03789413801  – CPF – Aurelio Martuscelli Neto

Cada doação será utilizada para a manutenção de nosso site, e para atendermos melhor em nosso chat no Whatsapp.

Um exemplo: já tivemos mais de 50 mil visualizações/dia, o que nos rendia um valor que dava para manter as contas, e sobrar algum para tocar a vida.

Triste é ver, após as últimas atualizações desses tais “algoritmos”, o número de visitas despencar, como num abismo sem fim.

As receitas com publicidade chegam as ser tão irrelevantes, que os publishers (redatores de postagens), acabam perdendo o ânimo, e muitos acabam desistindo.

Quem já provou de ganhos superiores a 3000, 5000, 7000 reais/mês, hoje amarga míseros 500/700 reais/mês, que nem dá para cobrir as despesas com o site que publica.

A dura missão de manter um site online
A dura missão de manter um site online

A dura missão de manter um site online

As páginas populares são substituídas por blogs ou sites novos, sem tradição no nicho, e cujo conteúdo é, via de regra, resultado de “copy/paste”. Mas, estão lá, seja no buscador do Google, seja nos canais no Youtube, em síntese, todas as plataformas dessa mega empresa.

Falando em Youtube, fundei um canal por lá, em 2016. Contratei ótimos profissionais de edição de vídeo, gastei um monte de dinheiro e tempo.

Resultado: meu canal, com mais de 45 mil inscritos, não possui monetização. Segundo o robô que despacha e-mails, o canal tem conteúdo repetitivo.

Ora, se eu tenho um site de orações, rezas e simpatias, obviamente os títulos deveriam ter essa destinação. Em outras palavras, não se pode alterar o que não se pede para ser alterado.

Acho que gastei uns 4 mil reais para a produção dos vídeos, mais softwares que comprei para eu mesmo produzir os meus. Mas, a ferramenta para revisão dos tais “conteúdos repetitivos” não existe nos canais sem monetização.

Os donos de sites e/ou blogs, são reféns do monopólio de mecanismos de procura, hoje sem desafiante ao Google Search.

Confesso, estou cansado, é triste ver tanto trabalho, tempo, dedicação e dinheiro, jogados praticamente fora. Continuo por amor mesmo, ou talvez teimosia. Confesso que não sei.

Porém, devido às insistentes alterações dos algoritmos, nos jogando buraco abaixo, não sei até quando poderei resistir. E, note, eu sou muito teimoso. Não desisto facilmente.

Com aproximadamente 14 anos de publicações, e vendo as despesas superarem quase o dobro das receitas, estou repensando: online, ou offline definitivamente.

A missão de manter um site online, vai além do que muitas pessoas pensam, principalmente quando se fala de custos de manutenção.

Uma hospedagem boa, para um site como o Poder Mágico, do tipo servidores Cloud (nuvens), custo em torno de US$25, em torno de R$125 reais, por mês.

Há que se considerar, também, o experimento de dezenas de hospedagens, até se chegar a uma que dê conta do que o site precisa: Uptime 99%, velocidade de carregamento, suporte técnico.

Falando em técnico, sites grandes, com centenas de publicações, geralmente mantém um técnico, para manutenção de seu site online.

Técnicos bons, e sempre à disposição, principalmente quando algo dá errado, cobram seus serviços por hora, e lá se vão 200, 300 a cada 2 meses.

Soma-se às despesas, o nome de domínio, renovado anualmente, perto de 120 reais, e além disso, plugins (ferramentas para velocidade, e exposição do site)

Como todos os bons plugins são pagos, pode anotar aí, mais uns US$ 40, aproximadamente R$230/mês. Adiciona-se os temas comprados, que são os templates do site/blog.

Bons temas, custam em torno de 70, 80 dólares. Já comprei uns 20 temas. Mas, como mudam os algoritmos como mudo de cueca, deixei temas pagos para quando, e se, tiver recursos para colocá-los aqui.

Obviamente, você, leitor desse site, não vai entender bulhufas do que estou tentando expor, mas certamente algum(a) companheiro(a) de jornada saberá do que se trata.

O que sempre pensei como prática de livre comércio, é justamente o fato de não haverem monopólios, o que sabemos inviável, dado o gigantismo dessas BigTechs

Mas, fica aí um desabafo, e informações para algum(a) aventureiro(a) que vai começar a trilhar esse caminho de dono, redator, técnico, mantenedor de um site ou blog.

Arrisco a dizer que nada será como foi, e nesse sentido não é conservadorismo, é questão de sobrevivência ou morte!

PS: antes de concluir, deixo claro que já tentei o AMP diversas vezes, o número de cliques diminui dramaticamente. Então, restam os templates otimizados.

 

(Visited 13 times, 1 visits today)
Compartilhem com amor!

Aurelio Martuscelli

Espiritualista, místico, estudioso em religiões, blogueiro por devoção, aprendiz de designer e amigo :-)

Plugin Kapsule Corp

WhatsApp chat