A origem dos oráculos 1

A origem dos oráculos 1 – O que são os Oráculos, o que eles fazem? Nesta matéria, compilada e ampliada a partir da Wikipédia, você saberá tudo sobre os poderes mágicos dos Oráculos.

Boa leitura!

A origem dos oráculos 1
A origem dos oráculos 1

Oráculos são seres humanos que fazem predições ou oferecem inspirações baseados em uma conexão com os deuses.

No mundo antigo, locais que ganharam reputação por distribuir a sabedoria oracular também se tornaram conhecidos como “oráculos”, além das predições em si mesmas.

Todos os povos da Antigüidade tiveram oráculos. Na mitologia escandinava, Odin levou a cabeça do deus Mimir para Asgard para ser consultada como oráculo.

Na tradição chinesa, o I Ching foi usado para adivinhação na dinastia Shang, embora seja muito mais antigo e tenha profundo significado filosófico.

A origem dos oráculos 1

Os oráculos gregos constituem um aspecto fundamental da religião e da cultura gregos. O oráculo é a resposta dada por um deus que foi consultado por uma dúvida pessoal, referente geralmente ao futuro.

Estes oráculos só podem ser dados por certos deuses, em lugares determinados, pelas pessoas determinadas e se respeitando rigorosamente os ritos: a obtenção do oráculo se assemelha a um culto.

Além disso, interpretar as respostas do deus, que se exprime de diversas maneiras, exige às vezes um aprendizado.

Por extensão, o termo oráculo designa tanto o deus consultado como o intermediário humano que transmite a resposta, e ainda o lugar sagrado onde a resposta é dada.

A língua grega distingue estes diferentes sentidos: entre numerosos termos, a resposta divina pode ser designada por χρησμός – khrêsmós, literalmente o fato de informar.

Pode-se também dizer φάτις – phátis, o fato de falar. O intérprete da resposta divina é freqüentemente designado por προφήτης – prophêtê, aquele que fala em lugar (do deus), ou ainda μάντις – mántis.

Por fim, o lugar do oráculo é χρηστήριον – kherêstêrion.

A mancia, isto é, o domínio da adivinhação, não é, no mundo grego antigo, constituído só pelas ciências oraculares.

Os adivinhos como Tirésias são considerados personagens mitológicos: a adivinhação, na Grécia, não é assunto de mortais inspirados mas de pessoas que respeitam determinados ritos, embora a tradição tenha podido dar a impressão de tal inspiração, ou, literalmente, ἐνθουσιασμός – enthousiasmós, entusiasmo, isto é, o fato de ter deus em si. Mitologia, Religião resposta dada por uma divindade a quem consultava.

Qualquer objeto tipo moeda, cartas, buzios podem dar resposta com um ser humano para interpretar as respostas geralmente com um sim ou um não por exemplo vai chover hoje, joga-se uma moeda para cima e a moeda responde isto pode ser interpetrado como oráculo, outro exemplo é o das doze pedras de sal para dizer o mês que vai chover utilizado pelo sertanejo nordestino também pode ser interpretado como um oráculo um sistema de advinhação.

Sistemas de adivinhação

Então, qualquer objeto, como a moeda, as cartas, os búzios, etc. podem responder de maneira afirmativa e ou negativa; e também outros tipos de respostas, desde que exista um padrão já determinado no sistema.

Logicamente um ser humano interpreta estas respostas. Em geral eram eles os sacerdotes que faziam a ligação entre seres humanos comuns a um deus, por exemplo, vai chover hoje: joga-se uma moeda para cima e a moeda responde, isto pode ser interpretado como oráculo.

Outro exemplo é o das doze pedras de sal, para dizer o mês que vai chover, utilizado pelo sertanejo nordestino também pode ser interpretado como um oráculo um sistema de adivinhação.

fonte: http://pt.wikipedia.org/

Compartilhem com amor!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Aurelio Martuscelli

Blogueiro por devoção, aprendiz de designer e amigo :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

WhatsApp chat