Coronavírus O Mundo que conhecemos não existe mais

Coronavírus O Mundo que conhecemos não existe mais – o momento é de preocupação, mas entrar em pânico é uma das atitudes mais comuns em casos desconhecidos.

Tememos o desconhecido, porque não vivemos aquela experiência que, nos momentos de crise, se espera de um ser humano pensante.

Sim, na verdade o Coronavírus, ou o correto Covid-19, é uma ameaça que se espalha sem poupar países, pessoas, idades, classes sociais.

O mundo que conhecemos, não existe mais, tudo que conhecemos sobre o Planeta, vai se modificar com a pandemia que nada poupa.

Coronavírus O Mundo que conhecemos não existe mais
Coronavírus O Mundo que conhecemos não existe mais

Saiba tudo sobre o Coronavírus o Covid-19 clicando AQUI

Coronavírus O Mundo que conhecemos não existe mais

No início, continuaremos olhando para nossos próprios umbigos, no “salve-se quem puder”, fazendo de tudo para proteger os bens que possuímos.

Certamente, filhos, pais e mães, parentes chegados e amigos, o resto, bem cada um cuide de si.

Não podemos confiar nesse governo, que não só manda bananas aos jornalistas, mas um presidente que manda bananas para seu povo.

Se você fosse o presidente do país, e soubesse que poderia estar infectado, você sairia da quarentena e incentivaria pessoas a te bajular, aglomerando-se e expondo a riscos desnecessários?

Claro que não!

Assim como nos países europeus, todos certamente, as autoridades estão fazendo de tudo para pelo menos conter o surgimento de mais infectados.

Além disso, procuram em pesquisadores e cientistas do mundo todo uma forma de neutralização desse vírus, para a produção de uma vacina.

Sabe-se, porém, que tudo isso leva tempo, e trabalha-se, então, com aquilo que já se têm: retrovirais e tratamento padrão para outros tipos de coronavírus: MERS-CoV, SARS-CoV.

Pessoas idosas, ou com problemas cardíacos, respiratórios, diabéticos, hipertensos, são aquelas do grupo de risco.

Vamos então começar a nos trancar em nossas casas, não antes de comprar mais que o necessário para nossas dispensas.

Os que não podem, bem, a culpa não é nossa, afinal! Lembre-se, estamos na fase do salve-se quem puder!

Países com fronteiras fechadas, milhares de seres humanos cujas vidas serão ceifadas, somando-se aos que se mantém sob sistema de 1. ventilação mecânica (aparelhos respiratórios) e em 2. UTIs 3. kit de diagnósticos para Covid-19

1 – o Brasil não tem aparelhos respiratórios suficientes para todos, à exceção dos ricos, muitos morrerão sem tratamento.

2 – O Brasil não possui leitos em UTIs suficientes para todos, à exceção dos ricos, muitos morrerão sem tratamento.

3 – O Brasil não tem o número de kits de diagnóstico para detecção do Covid-19 – mas no Albert Einstein, e noutros hospitais de bacanas, têm.

Caberá à classe média pobre e às classes menos favorecidas a árdua tarefa de tentar, através de uma rede de solidariedade, conseguir que todos, sem exceção, possam ter acesso pelo menos a um tratamento adequado.

Nessa fase, após a fase da mesquinhez  e egoísmo, do salve-se quem puder, a fase de introspecção, cada qual na sua toca.

Para quem pode deixar de trabalhar, é ótimo, não precisa se expor ao transporte público, sempre lotado, com pessoas se espremendo para não perder a hora.

E, cá entre nós, quem pode se dar ao luxo de não ir trabalhar, e continuar recebendo algum dinheiro para que possa ficar em casa e assim deixar de ser um futuro hospedeiro da doença?

Há, portanto, pouco tempo para que nós, a maioria do povo brasileiro, os pobres, nos unirmos para cobrar desse governo que libere as verbas para a Saúde Pública.

Não é momento de economizar com Reformas que nos tiraram todos nossos direitos, não é Temer, Jair?

Os médicos cubanos, ao que tudo indica, serão recontratados, porque os médicos brasileiros (nem todos) não gostam de periferias, ainda mais na situação de pandemia.

Alguns governos estaduais e municipais, além de Universidades Públicas e Privadas, já suspenderam suas aulas.

A isso se chama valorizar o ser humano: o aluno, o professor, o técnico administrativo, o trabalhador primário, o motorista do ônibus, os passageiros, o frentista do posto, o vendedor ambulante, o guarda de trânsito, etc.

Não, não viveremos mais naquele mundo que conhecemos, a exemplo dos EUA, onde as pessoas não têm um tipo de Serviço de Saúde Universal, têm que pagar.

Não mais veremos ricos fugindo para as Bahamas, ou Taiti, pois lá estará a pandemia.

Certamente não veremos os mais abastados nas filas do SUS, nem em Shopping Centers de grife lotados. Muito menos em supermercados, pois estes já estocaram suas casas com meses de alimentos e outros mimos que nem temos acesso.

Será a fase da solidariedade, pois as economias mundias, principalmente das grandes potências, se derretem ao sabor do pessimismo dos casinos chamados de Bolsas de Valores, que pouco empregam, mas muitos dividendos e lucros dão aos banqueiros e players (jogadores).

Ou nos damos as mãos agora, ou não haverá Arcas de Noé suficientes para um centésimo da população mundial (curiosamente o número de ricos no mundo!).

Não é momento, porém de pânico, que é agir desesperadamente. Ajudar a si mesmo e ao outro, não importa quem seja, só depende de seguir as orientações da Organização Mundial de Saúde, que você poderá encontrar AQUI.

Ajude a conter o coronavírus, saia o menos possível, mantenha distância das pessoas que estão tossindo ou espirrando, não fique muito próximo de outra pessoa em filas, use se puder somente as comunicações via Whatsapp e aplicativos de mensagens e chamadas de vídeo.

Adie sua viagem, seja para o lugar que for.

E orar é bom, quanto mais fé e solidariedade, nós veremos o renascer de um novo mundo, menos egoísta e mais fraterno.

São meus votos e meus apelos.

 

 

Compartilhem com amor!

Aurelio Martuscelli

Espiritualista, místico, estudioso em religiões, blogueiro por devoção, aprendiz de designer e amigo :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

WhatsApp chat